quarta-feira, 15 de maio de 2019












                      
                                    
                                 Rapaz, é duro. O que, cara? Esquece moço, não posso revelar o que  me passa pela cabeça. Basta o que já sofri nos anos pós  64. Você não disse que foi pra França e lá ficou numa boa? Que boa rapaz, você já viu exilado algum viver numa boa onde quer que seja? A gente numa boa está em nossa terra, mesmo comendo o pão que o diabo amassou, desculpa o lugar comum. Eu até prefiro que você fale assim. Não gosto de sua mania de intelectual, falando uma língua que ninguém entende.  Hahaha.

domingo, 5 de maio de 2019














                                               

                                              Mil novecentos e cinquenta e seis, Salvador, onze e meia, mais ou menos, Fazenda Grande do Retiro, Nó-de-Pau, Ladeira do Calafate, Avenida Dona Judite. Quem diria! Capriccio Espagnol, Rimskij Korsakov, irrompe a Alborada com os floreios das clarinetas, Na Polícia e nas Ruas anunciava o locutor.

domingo, 28 de abril de 2019













                       

                                                    Aquela noite. Mágica, aquela noite, cinquenta e cinco. Até que o frio não estava tão frio. Quantos sonhos! Tinha dito à turma, mostrando uma imagem de uma cidade qualquer no livro de geografia. Vou conhecer isto aí tudo.

quinta-feira, 25 de abril de 2019











                      





                                                   Mário comendo Françoise, eu escrevendo um poema. Há algum mal nisto? E Sá Brito quando acordou sua pia estava toda cagada. Cara foi você que fez isto. Fui sim. Não dizem que o francês mija na pia? Eu como bom brasileiro, caguei. Parece piada, não é. Bom violão, melhor cagaião. Mhami ficou meu inimigo porque coloquei carne de porco eu seu prato. Monsieur Pisani não encontrou nenhuma reticência em mim. Também tive a sorte do vigia me livrar de qualquer culpa. Non, non, Monsieu Pisani, tudo aconteceu muito depois que ele saiu, após ter ficado uns minutos batendo papo comigo. 

sábado, 20 de abril de 2019

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                         

https://twitter.com/Ruptly







                                                Sangue, eu via muito por todos os lados. Eu por sorte ou esperteza ou mesmo covardia, inda não tinha derramado uma gota. Eu detesto sangue, chego a desmaiar quando vou fazer exame. Mas infelizmente, é quase impossível uma vitória sem sangue. Quem tem não quer ceder. Quando vejo uma barriguinha, tão linda, com aquele tanquinho no umbiguinho. fico louco. Que tentação! Não posso entender como os meganhas têm coragem de bater em pessoas tão lindas. Vi pegarem uma, tão linda, os cabelos esvoaçam sob o sol mortiço. Torceram o braço, empurram-na por cima de troços, derrubaram-na montaram sobre ela e quando conseguiram  algemá-la, estava toda cagada e mijada. É muita loucura.  E o que você queria que eu fizesse?

segunda-feira, 15 de abril de 2019

NOTRE-DAME DE PARIS















                                           Agora  me retei mesmo. Quero saber quem botou fogo na minha Nôtre-Dame. Na sua Nôtre-Dame?  Agora ela é sua? Agora, não. Ela sempre foi minha. Quem leva turista para ela, todos os dias? Que a conhece mais do que eu, para informar ao visitante tudo o que acontece e acontece nela? Quero sim que me descubra que pôs fogo na minha joia. Quem chamem Sherlock Holmes, corram à Baker Street e o tragam nem seja amarrado e de charuto apagado, mas tragam, é urgente. Corram, corram, chamem todos os bombeiros do mundo, não a deixem queimar, é como queimar o mundo, corram. Rapaz, que agonia é esta, deixa que os homens estão cuidando, depois, o mundo não vai se acabar! Não? Não para você, insensível. Ela é minha vida. Não sabia que você fosse tão devoto dela. Devoto? Que devoto, rapaz? Tudo que tenho devo a ela. Você entende?
                              Gandra, onde estás agora? Tu te lembras? Rapaz, se isto aqui pegar fogo, não fica nada. Que nada, pá, aqui nunca pega fogo, é muito cuidado.
                                     Ginka, veja estas gárgulas, lindas e horríveis. Você tinha medo, mas era de mim. De Norteamérica, conhecer Paris. Todos querem conhecer Paris. Jean, onde estás Deglun? Estivemos aqui, vindo da Feijoada, lembra? Quantas pessoas morreram para construir isto aqui. Escravos. Quantos?  Gritos de dor.

quinta-feira, 4 de abril de 2019











         

                             
                                Eu sou tigrão! Eu sou mau-mau. Eu sou tigresa! ai que beleza. Tchutchuca, não, não, não, não. É a mãe, é avó, é mãe. Tchutchuca vai tchutchucar? Txucarramãe, txucarramãe. Sou guerreiro sem armas. Não me importa que mula manque, eu quero é tchutchucar. Sai daí que a gente que calar boca dele. Foi na Taquara, na Estrada do Curumau, na Boiúna. Assim tá bom demais. E estão dizendo por aí, que ela foi garota de programa em Cuiabá. E quem não foi? Oitenta tiros, oitenta tiros e estão sa lamentando. atirem, atirem. Depois a gente vê. Ordem é ordem, se não cumprirem... Enquanto isso, um Hang de tal ganha 115 anos para pagar seus débitos, melhor que isto só tchutchutcar. Socorro, Antõe Cego, Socorro Maria Milza, Santa Sertaneja, tu não curou Daniel Aleijado, cura nós agora. Ah, seca danada, naquele ano. O jeito era caçar mocó nos morros. E tem um cara aí que tem medo de filosofia. Socorro, Patativa do Assaré. Chamaram um outro para pedir apoio, pensando ser muita coisa, mas é caca mesmo. Chamaramo também mulher das pernas grandes, mas o célebro, oh, pequeninim! Antes tivesse ficado lá, nem que fosse, eternamente, lavando bosta de francês. Que agonia, me sinto como Vade, tirando tolocos. A Rosalina veia, tu eras o terror de Capela. Socorro, Dr. Baiúca, um salvo-conduto, eu te peço.